A Delphix, líder mundial em DevOps e Test Data Management (TDM), fez uma parceria com a Pulse para realizar um estudo global que descobriu que 76% dos CIOs não acreditam na capacidade de sua organização de proteger contra roubo de informações.

 

Com base em entrevistas com 100 gerentes de TI e segurança de organizações de todo o mundo, a análise também destaca que a maioria das organizações ainda não está preparada para se defender contra ataques cibernéticos. ransomware.

Consulte Mais informação:

Mais de 80% dos entrevistados disseram que não realizaram testes e simulações para garantir a recuperação rápida e crítica de aplicativos e informações críticas para os negócios em caso de desastre, e apenas 6% disseram estar cientes das três principais variantes de ransomware ( criptografia de dados, sistemas de bloqueio e roubo de dados).

Além disso, enquanto 99% dos entrevistados usam uma solução de backup de terceiros, a maioria deles não usa recursos importantes, como restauração de sandbox, mascaramento de dados e armazenamento à prova de adulteração.

“Os resultados deste estudo aumentam a conscientização sobre a prontidão das organizações para se proteger contra ataques de ransomware. Esta é uma preparação necessária para um ataque, não uma esperança de que isso não aconteça”, diz Bruna Bolorino, vice-presidente da Delphix para América Latina e Caribe.

Outras informações coletadas durante a análise estão relacionadas ao tempo de inatividade após um ataque, que, além da perda de receita, também pode levar a multas, perda de dados críticos para o negócio e uma crise de imagem no mercado.

Estima-se que um único ataque de ransomware que resulte em 3 dias de inatividade da empresa possa custar às instituições de US$ 30 milhões a mais de US$ 150 milhões.

Dos líderes das organizações que foram atacadas, 70% disseram que seu sistema de backup foi comprometido, 68% disseram que informações de identificação pessoal foram afetadas, 48% perderam dados permanentemente e 40% tiveram dados roubados. Destes, 24% pagaram o resgate e 14% foram atacados novamente.

76% dos CIOs não garantem a segurança da empresa para se proteger de um ataque de hackers
Imagem: PeachShutterStock/Shutterstock

Dos líderes das organizações hackeadas, 70% disseram que seu sistema de backup estava corrompido, 68% relatam que dados pessoais foram comprometidos, 48% perderam informações permanentemente e 40% tiveram informações roubadas. Destes, 24% pagaram o resgate e 14% foram reatacados.

“Pensando especificamente nos dados, muitas empresas podem decidir que um sistema de backup é suficiente para protegê-los. No entanto, estudos já mostraram que a perda de dados pode chegar a até 71% em casos de dependência de backup, pois a grande maioria dos backups regulares são lentos, incompletos e propensos a erros quando intervencionados manualmente”, explica o vice-presidente.

A boa notícia é que hoje, plataformas de dados de alto desempenho como DevOps for Data (DevOps TDM) e Conformidade Contínua já permitem que as empresas automatizem a proteção de dados enquanto entregam rapidamente dados de teste para acelerar novos lançamentos de aplicativos”, conclui Bruno.

 

Facebook Comments