Dois ex-funcionários da Tesla são processados contra a empresano último domingo (19) afirmando que não houve aviso prévio da decisão de realizar “demissões em massa”, o que viola a legislação trabalhista norte-americana.

De acordo com o processo, mais de 500 pessoas foram demitidas fabricante de veículos elétricos este mês em apenas uma fábrica de Nevada, em violação da chamada “Lei de Aviso de Adaptação e Retreinamento do Trabalhador”, que estabelece um período de aviso prévio de 60 dias antes da liberação.

Ex-funcionários processaram a Tesla por demissões em massa sem aviso prévio.
Quando questionado sobre o processo, Musk disse ao Fórum Econômico do Catar que a ação era trivial e “irracional”. Imagem: Naresh777/Shutterstock

O objetivo de John Lynch e Duxton Hartsfield, que foram demitidos em 10 e 15 de junho, respectivamente, é alcançar o status de ação coletiva para que todos os funcionários demitidos entre maio e junho estejam representados. “A Tesla notificou os funcionários de que suas demissões entrarão em vigor imediatamente”, diz a queixa.

Consulte Mais informação:

“Sensação ruim” sobre a economia

Vale lembrar que Musk disse este mês que tinha “sensação muito ruim” sobre a economia, um dos fatores que poderiam ter contribuído para o corte, que representaria uma redução de 3,5% na força de trabalho total da Tesla nos próximos três meses. “Em algumas áreas, crescemos muito rápido e isso requer redução”, disse Musk no Fórum Econômico do Catar.

Em última análise, a ação busca indenização pelo descumprimento do prazo de aviso prévio. “É chocante que a Tesla tenha violado grosseiramente a lei trabalhista federal ao demitir tantos trabalhadores sem aviso prévio”, disse Shannon Liss-Riordan, advogada que representa os dois ex-funcionários.

Questionado sobre o processo, Musk disse que a ação é trivial e “irracional”: “É um processo pequeno que não terá consequências”.

Usando: Reuters, insider

 

Facebook Comments